Se você já conseguiu entender o tema deste post apenas pelo título… Parabéns, você também deve estar passando pela sofrência de não conseguir tirar este refrão da cabeça.

Eu não aguento mais! Please, send help.

Para quem ainda não está a par da polêmica das últimas semanas, vamos a uma descrição dos fatos (breve, ou talvez não).

Percebam que o post dessa semana foi criado apenas como uma oportunidade para relembrar este momento histórico…

Eis que em 2018 foi lançado o filme “A star is born”, a critica estava caindo em cima dessa estreia por conta da publicidade que ter a rainha (do “rama u mama”) Lady Gaga como atriz e voz principal geraria para a produção.

E, honestamente, eu acho que muita gente queria realmente que a produção inteira falhasse apenas para poder falar mal da cantora. E isso tirando de uma leitura profunda e bem instruída de uma fonte riquíssima de conteúdo (o twitter)…

Mas muitos acabaram se surpreendendo positivamente com as atuações e também com a trilha sonora, por muito tempo tudo o que se falava era sobre a música “Shallow” que recebeu um Oscar de Melhor Canção Original. A galera que decidiu isso está na industria há anos decidindo este tipo de premiação, de alguma coisa eles devem saber, e a música realmente é boa.

Eis a música, e spoiler do filme…

Mas, Evelyne, e sua opinião sobre o filme? E a atuação da Stefani Joanne Angelina Germanotta?

“Nem vi, nem verei”.

O que importa neste momento crucial é nada mais nada menos do que a versão made in Brazil feita pela Paula Fernandes e interpretada em conjunto com o príncipe do meteoro Luan Santana, o vídeo com a canção foi liberado no dia 18 de maio de 2019. E depois disso a internet fez o melhor que pode fazer para opinar sobre tal assunto.

A internet não perdoa…

Um costume muito comum no mundo da música é a criação das versões, que é basicamente pegar a base musical e transformar a letra sem fazer uma tradução literal. Isso significa que nas versões os artistas tem licença poética para transformar a música da melhor maneira possível para adaptá-la para a nova língua e também para a própria identidade musical do artista. Ou seja, Paula Fernandes não inventou essa história não, muitos artistas brasileiros já fizeram isso (Sandy&Junior, Ana Carolina, Seu Jorge, Leandro e Leonardo…)

Até ai tudo bem.

A questão é que talvez a música “Juntos” não tenha se espalhado pela internet pelos motivos que tanto a Paula quanto o Luan queriam. O que as pessoas não conseguiram perdoar foi um verso inserido no refrão, vejam a música e tentem adivinhar o que não sai da cabeça dos brasileiros…

Sim, acertou quem chutou que a polêmica gera em torno do verso “Juntos e shallow now”, esse pequeno detalhe não agradou muita gente. A versão em si não está tão ruim, temos que admitir, mas tem gente que acredita que haviam formas melhores de fazer referência a música original passando bem longe dessa leve gafe.

Como o melhor do brasileiro são os MEMES, decidi compartilhar um pequeno hall de memes para enaltecer a internet:

Bem sensatos, demonstrando todo seu poder linguístico.
Gretchen: A própria personificação da monarquia no Brasil.
Detalhe: a própria Stefani aprovou a versão da música. O que gerou um tantinho de treta porque não havia mais como fazer modificações, segundo a gravadora da Paula.
Os nerds também não perdoam…

É isso o que temos para hoje, eu realmente espero que vocês também fiquem com esse “hino” de refrão na cabeça e eu não seja a única surtada da internet.

Um beijo, e até a próxima postagem. E lembrem-se, estaremos sempre juntos e shallow now!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s