E aí meus viajantes favoritos, vamos continuar nosso papo semanal sobre os Direitos LGBT pelo mundo? Já demos uma boa passada pelo Canadá e pela Espanha nas últimas semanas. O Canadá ocupa a 1ª posição no ranking Gay Travel Index 2018 e a Espanha, assim como o país de hoje, ocupa o 3º lugar.

Esse guia publicado pela Spartacus leva em consideração influência religiosa, direitos igualitários, existências de leis anti-gay, possibilidade de adoção em lei, hostilidade dos moradores locais entre outros aspectos.

Agora, falando sobre o Reino Unido a prática de atos homossexuais é legal desde o ano de 1967 em países como Inglaterra e País de Gales. Já na Escócia a permissão veio um pouquinho mais tarde, em 1980. E tardou mais ainda a ser permitida na Irlanda do Norte que somente legalizou os atos no ano de 1982. É estranho falar numa legalização do ato homossexual, não é? Mas se tratando de falar sobre a história não tem como ignorar que as pessoas eram punidas simplesmente por serem elas mesmas.

Desde o ano de 2005 que a União Civil é permitida entre parceiros e parceiras do mesmo sexo, mesmo ano em que a Espanha também legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A legislação que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi promulgada por Consentimento Real na Inglaterra e País de Gales em 17 de julho de 2013. Na Escócia a união foi legalizada em 2014 – se tornando o 17º país a legalizar.

Outros dois grandes avanços nos Direitos LGBT no Reino Unido diz respeito a possibilidade de casais homoafetivos adotarem, legalmente, crianças e a servirem nas forças armadas. A parte de servir nas forças armadas pode parecer bobagem, mas acreditem, aqui no Brasil ainda é comum vermos vídeos de pessoas trans sendo humilhadas durante o alistamento militar, por exemplo.

Em julho do ano passado, após uma pesquisa britânica mostrar que 66% das pessoas LGBT temiam andar de mãos dadas com seus parceiros(as) nas ruas, o Reino Unido apresentou um plano de ação para acabar com a discriminação da comunidade gay, que incluiu uma lei para proibir as terapias para “convertê-los” em heterossexuais. Nas palavras da então primeira-ministra Theresa May:

“Ninguém deveria ter de esconder quem é, ou quem ama.”

E esse ano o governo britânico vai celebrar os direitos de pessoas homossexuais, bissexuais, transexuais, transgênero e intersexo participando das Paradas de Orgulho LGBT em Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro, além da maior delas, em São Paulo, em 2019. A participação faz parte da campanha Love Is Great, do Visit Britain.

Não é a toa que o Reino Unido é reconhecido como um dos países mais progressistas do mundo para os Direitos LGBT. Em 2017, o destino foi escolhido por mais de 250 mil turistas brasileiros, independente da orientação sexual ou identidade de gênero. É mole?

Ficou afim de conhecer o Reino Unido? De estudar por lá? A WA Intercâmbio, agência de intercâmbio que visa transformar vidas por meio da cultura e conhecimento oferecidos no exterior, possui excelentes oportunidades para intercâmbio. E querendo tirar dúvidas é só comentar aqui ou me chamar lá no instagram que eu respondo com todo carinho!

Nós vemos no próximo destino, ok?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s